Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \28\UTC 2010

A lenda da cigana Íris, deusa do arco-íris.

Íris nasceu na Índia, tem os cabelos negros lisos e compridos, de pele morena e olhos verdes, trabalha com as cores do arco-íris. E a sua cor preferida e cor de rosa, sendo a cor que atua, na sensibilidade e emoção de cada um de nós, despertando o sentimento mais, forte e puro,que é o amor.

Conta a lenda, que Íris tinha o poder de ler os pensamentos das pessoas, num simples olhar. Ajudava e curava apenas num toque das mãos.

Foi conhecida e adorada por toda Índia, pelo seu poder de cura, bondade e amor. Menina ainda, com os seus 16 anos de idade, tinha a responsabilidade de passar todo amor e esperança para aqueles que não os tinham.

Foi caçada por aqueles que não aceitava o seu dom espiritual, e quase queimada. Fugindo encontrou no caminho uma caravana cigana, onde recebeu abrigo, passou a viajar com os ciganos por sete anos, onde apreendeu seus costumes e rituais.

Até chegar ao Egito, e se encontrou espiritualmente, dando inicio a um novo caminho espiritual, e ao seu trabalho de caridades.

Teve como a segunda “mãe” o Egito, onde foi abraçada como “filha”, e lhe deram o nome de Íris, a grande sacerdotisa cigana. Que caminhou, sofreu, e aprendeu que os caminhos são feitos de fé, perseverança, esperança e amor.

Para quem quer lhe agradar, são oferecidos a Íris flores do campo, rosas, champagne, água gasosa, frutas, pães e doces.

Read Full Post »

Magoas e òdios a que caminho levaras!/
Com mágoas e ódios que sentes, vais o teu corpomatar
Os primeiros a sofrer, são os teus órgãos vitais
Vais perdendo a resistência, por não te alimentar
Se não acabares com o ódio, vai contigo acabar
As doenças que aparecem, não poderás dominar
A fonte que gerou, é o teu próprio pensar
Vai passando para o corpo, até não poder suportar
Não produzirás anticorpos, para tua vida salvar
Não combaterá as doenças, o remédio que tomar
Quem não combater o ódio, doente sempre será
Toda saúde do homem, está naquilo que pensa
Não poderás ter saúde, se pensas só em doenças
O remédio é a luz, quando positivamente pensas
Desperte o amor no teu próximo, para que o mal desapareça
Não pergunte quem é, nem a cor e a crença
Dê com a tua mão direita, e que tua esquerda não veja
Vencerás todas as batalhas, dentro e fora de ti
Quando pensas positivo, ajudas todos aqui
Com bom exemplo ensinas, o bom caminho seguir
Ensinarás a se levantar, aquele que cair
Usarás a luz divina: fé, humildade e amor
Ensinarás a usar as grandezas, que dentro de ti ficou
Aquelas que também, dentro de todos Deus deixou
Só não conseguiu usar, quem nunca acreditou
Manterás teu corpo são, quando positivamente pensar
Quando definitivamente, os maus pensamentos afastar
Quando estiveres suficientemente preparado, para as provações aceitar…
O peso da tua cruz, aos poucos diminuirá
Imitarás Jesus Cristo, com o bom exemplo que dás
Em todos os momentos da vida, faça só bons pensamentos
Quem pensa no bem de todos, tem de Deus merecimento
Não sente ódio nem mágoa, a todos vai compreendendo
Afasta os maus fluídos, e só tem bons sentimentos
Leva àqueles que sofrem, fé, amor e alento.

Read Full Post »

Cigano Pablo

Vivi nesta terra a muito e muito tempo atrás.

Quando vivo, chefiava uma tribo de ciganos que na maior parte do tempo acampava pelas terras de Andaluza, como em minha tribo as tradições eram passadas de geração para geração e de pai para filho, herdei a chefia da tribo ainda jovem de meu pai.

Aprendi tudo que era necessário aprender com os antigos da tribo, que para nós ciganos, são as pessoas mais sábias sobre a face da terra.

Durante o tempo em que chefiei a tribo sempre recorri a eles em busca de sabedoria para solucionar problemas ou quando tinha dúvidas ou quando necessitava tomar qualquer decisão que fosse de maior responsabilidade, nunca gostei de tomar qualquer decisão, sem antes consultar a sabedoria dos antigos.

Quando nasci, fui prometido como todos os ciganos a filha de um dos ciganos da tribo, crescemos juntos e aprendemos a gostar um do outro e assim foi até atingirmos a idade necessária para contrairmos o matrimonio, enquanto isso aprendi com os antigos, todos os truques e todas as magias ciganas.

Tornei-me um grande conhecedor de magias e adquiri um pouco da sabedoria dos antigos.

Chegada à época das núpcias, casamo-nos aos quinze anos de idade, aprendemos juntos como liderar a nossa tribo.

Tivemos três filhos machos.

Segundo a tradição todos foram prometidos e assim seguimos nossos caminhos, com muita alegria e muita fartura.

Trabalhávamos arduamente cada um em seu oficio em prol da coletividade.

Com os filhos crescendo e a nossa felicidade a largos passos, começaram os problemas, o meu primogênito, ao qual cabia substitui-me na liderança da tribo, resolveu rebelar-se contra a nossa tradição, não querendo aceitar o acordo de núpcias feito entre nossa família e a de sua prometida, assim causando um conflito na tribo, como se não bastasse, resolveu envolver-se com outras moças da tribo, causando o desagrado de todos os homens que já se estavam como ele prometidos a essas moças, até que seus atos o levaram a um conflito direto com um dos jovens da aldeia, e pelas leis da tribo, levaram a um duelo pela honra.

Eu já sabia de antemão como terminaria esse duelo, pois, com a sua revolta, o meu filho não quis aprender comigo a arte de duelar, com isso encontrava-se despreparado para o duelo.

Vendo-me com grande dor no coração por saber-me impotente em relação ao fato de também se fazer cumprir a lei da tribo (essa lei nunca havia sido utilizada na tribo).

Tornei-me introspectivo e voltei-me para os antigos em busca de consolo. Sabendo os antigos pelo grande amor que nutria por meu primogênito, mostraram-me que havia uma maneira não muito ortodoxa de poupar o meu filho da morte certa, porem, sendo um bom lutador e tendo o conhecimento da magia do duelo, sabia também que não deveria vencer o jovem.

Assumi o lugar de meu filho (deveria morrer em seu lugar).

E assim fiz, desencarnei nas mãos de um jovem cigano irado com o fato de meu filho ter desonrado a sua prometida.

Deixei em desgraça uma jovem mulher e três filhos rezando a Santa Sara para que cuidasse de todos.

Durante o tempo que me foi permitido velar por minha tribo e minha família, fiquei ao lado de todos tentando colocar algum juízo na cabeça de meu filho, esperando que depois do fato acontecido ele resolvesse aceitar o seu destino, mesmo depois de tudo o que fiz, esse meu filho ainda se rebelou com o que fiz, continuou em sua busca de algo que nem ele sabia o que era.

Nessa sua busca desse algo, foi levando em seus passos o meu segundo filho, que sem o pai, estava completamente envolvido pelo irmão mais velho, tentei de todas as maneiras que pude e me foi permitido, influenciar ao primogênito o sentido de dever, não conseguindo meu intento e vendo que o meu tempo estava se escoando, fiz o que qualquer pai amoroso faria, mudei o meu objetivo para o segundo filho, que com mais jeito que o mais velho aceitou tudo o que eu pude passar para ele.

Descobri então que com o segundo filho, tudo era mais fácil, pois, este já trazia de berço todos os dons que me foram passados por gerações, então investi neste, sempre com o intuito de regenerar o mais velho, indicando ao mais novo o caminho dos antigos, fiz com que este filho conseguisse com o seu carinho trazer o mais velho de volta, pois o segundo filho mostrou-se mais sábio que o pai e abrindo os olhos do primeiro filho o trouxe para o seio da tribo.

Depois de regenerado o meu primeiro filho retomou o seu lugar na tribo, ocupou o meu lugar, o qual o meu segundo filho controlou com muita sabedoria, ate a volta do irmão.

Ai eu pude seguir o meu caminho no astral ate o dia em que pude tornar a encontrar a minha amada, e voltar a montar a minha tribo no astral.

..AUTOR DESCONHECIDO..

Read Full Post »

OFERENDA PARA O CIGANO PABLO

ELEMENTOS USADOS:

1 toalha pequena de algodão para forrar o chão (branca ou vermelha)
1 charuto de boa qualidade em 1 um cinzeiro de vidro ou metal
1 taça de conhaque (vidro, cristal ou estanho)
1 taça de água mineral (vidro, cristal ou estanho)
7 velas azul escuro acesas em suportes para velas de vidro ou metal.
3 cachos de uvas moscatel regados com um pouco conhaque
3 cravos vermelhos, colocados ao lado das uvas
7 moedas (lavadas em sabão e depois com água e sal)

Arrume sua toalha e coloque todos os elementos acima, deixando para acender as velas por último.

Após terminar de queimar as velas, recolher todos os objetos e guardá-los oara uma outra oferenda.
Deixe as frutas e os cravos, despeje a água nos cravos e o conhaque nas uvas.

Local de entrega: Campos
Hora: até as 21:00
Pedidos: negócios, viagens

Read Full Post »

Gitana

gitana Pictures, Images and Photos

Read Full Post »

Baila, baila cigana,
Baila para ajudar
O seu bando precisa de forças
Para poder caminhar,

Baila, baila cigana
Baila para ajudar
O seu bando precisa de forças
Para poder caminhar

Quem quer seguir com seu bando
Aqui uma moeda vai deixar
Na força de Sete Moedas
A sua estrada nunca mais se fechara

Baila, baila cigana,
Baila para ajudar
O seu bando precisa de forças
Para poder caminhar,

Baila, baila cigana
Baila para ajudar
O seu bando precisa de forças
Para poder caminhar

Quem quer seguir com seu bando
Aqui uma moeda vai deixar
Na força de Sete Moedas
A sua estrada nunca mais se fechara

Baila, baila cigana,
Baila para ajudar
O seu bando precisa de forças
Para poder caminhar,

Baila, baila cigana
Baila para ajudar
O seu bando precisa de forças
Para poder caminhar.

Read Full Post »

Cigana das 7 moedas

Numa estrada de areia
Eu vi uma cigana a bailar
Era a Sete Moedas
Que bailava a luz do luar
Era a sete moedas
Que bailava a luz do luar

Baila, baila cigana,
Baila para ajudar
O seu bando precisa de forças
Para poder caminhar,

Baila, baila cigana
Baila para ajudar
O seu bando precisa de forças
Para poder caminhar

Bailando pediu a lua
Proteção pro seu bando passar
A lua ouviu sua prece
E junto com as estrelas abençoou

Read Full Post »

Older Posts »